Entenda a Depressão – Os sintomas 5



Olá, vamos entender um pouco mais a respeito da Depressão?

A depressão se manifesta de diversos modos, de acordo com a pessoa.

Pode haver casos que os sintomas emocionais de tristeza, desânimo, falta de interesse sejam mais ou menos intensos e em outros a depressão pode se manifestar-se sobretudo de forma física como dores, alterações no sono, falta de energia, fadiga.

Os sintomas que geralmente estão associados à depressão são a tristeza, a baixa autoestima e a falta de interesse. No entanto, de acordo com certo estudo as dores de cabeça, nas costas e ombros, e as dores generalizadas são também exemplos de sintomas físicos dolorosos que afetam em média 65% das pessoas deprimidas. Fizemos uma pesquisa e relacionamos abaixo um dos principais sintomas, que tal conhece-los melhor?

images (2)

Humor Deprimido: O indivíduo com o humor deprimido ocasionalmente se apresenta triste, denota sinais de desesperança e descrença em si mesmo. O pessimismo é uma característica marcante nestes casos, pois o indivíduo entende que a vida lhe ofereceu obstáculos insuperáveis. Em alguns casos queixas somáticas, indiferença ou ansiedade são descritas no lugar do sentimento de tristeza.  A vida parece não ter mais sentido e há a presença de uma anestesia afetiva. Algumas características como expressão facial carregada, rugas fortes, olhos lacrimejantes e aspecto descuidado são muito presentes. Não há regras, mas normalmente o humor deprimido é mais forte pela manhã, aliviando um pouco ao longo do dia.

– Perda de interesse e prazer: A perda do interesse ou prazer frequentemente está presente pelo menos em algum grau. Os indivíduos costumam relatar a perda de interesse por atividades que anteriormente despertavam prazer, incluindo as atividades profissionais, sexuais ou mesmo algum tipo de lazer.

images– Alteração no apetite: O apetite normalmente fica reduzido, mas há casos em que ele aumenta significativamente. Nos casos de aumento do apetite o indivíduo privilegia alguns alimentos específicos, tais como doces ou carboidratos em sua dieta. Em casos graves, a perda ou ganho de peso também pode ser visivelmente percebido. A perda de peso marcante pode ser identificada através do parâmetro indicado na CID 10 – perda de 5% ou mais do peso corporal no mês anterior.

– Perturbação do sono: O indivíduo pode apresentar insônia intermediária, terminal ou inicial. Insônia inicial é entendida pela dificuldade para adormecer. Insônia intermediária é aquela em que o indivíduo desperta durante a noite e então sente dificuldade para adormecer novamente. Insônia terminal é caracterizada por um despertar muito cedo e impossibilidade de retomar o sono. Com menor frequência a sonolência excessiva, seja noturna ou diurna, é observada em pessoas com o diagnóstico de depressão.

– Alteração nas atividades psicomotoras: As alterações incluem agitação ou retardo psicomotores e são observáveis no comportamento do indivíduo que elas apresentam. A agitação pode ser indicada por alguns comportamentos como: incapacidade de ficar sentado quieto, ficar andando sem parar de um lado para outro, agitar as mãos, manipular a pele, roupas e outros objetos ansiosamente. Já o retardo psicomotor pode ser identificado por outros comportamentos como: discurso, pensamentos ou movimentos corporais lentos, como por exemplo longas pausas antes de responder a uma pergunta, fala diminuída com volume excessivamente baixo e pouco repertório ou mutismo. É importante ressaltar que para ser utilizada como critério diagnóstico a agitação ou retardo psicomotor devem ser suficientemente graves a ponto de ser nítidos à observação de outra pessoa.

images (1)

– Fadiga: Frequentemente o indivíduo apresenta energia diminuída, cansaço e fadiga persistentes, mesmo quando não há esforço físico. Tarefas leves e simples se tornam demasiadamente exaustivas nestes casos.

– Sentimento de culpa e inutilidade: pode incluir uma avaliação negativa que um indivíduo faz de si, não reconhecendo seu valor ou potencial. Se sente culpado ou recrimina-se acerca de pequenos fracassos do passado.

Prejuízo na capacidade de pensar, atenção e concentração reduzidas e dificuldade para tomar decisões: A queixa de dificuldade de memória nestes casos também é frequente, tendem a se recuperar por completo, após tratamento adequado as faculdades do pensamento, atenção, concentração e memória.

– Ideias recorrentes de morte ou suicídio: Pensamentos sobre morte, ideação suicida ou tentativa de suicídio são comuns, porém a frequência, intensidade e letalidade destes pensamentos são variáveis. O grau de prejuízo associado com um Episódio Depressivo Maior varia, mas mesmo nos casos leves deve haver um sofrimento clinicamente significativo ou alguma interferência no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes. Quanto a este fato, somos enfáticos em dizer: NÃO recorra a ele, mesmo quando tudo parecer sem saída, pois SEMPRE há uma alternativa em vida, SEMPRE haverá uma pessoa que te ama mais que você e que pode e está louca para te ajudar.

A Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10 sugere que a avaliação do desempenho social e laborativa habituais de um indivíduo se torna um guia útil para a avaliação provável do nível de gravidade do episódio, pois normalmente o episódio depressivo desencadeia sofrimento ou prejuízo nas várias esferas da vida de uma pessoa.

No entanto, enfatiza a importância de se levar em consideração as influências individuais, sociais e culturais no julgamento clínico, uma vez que estes fatores podem perturbar a relação entre a gravidade dos sintomas e o desempenho social.

Nesta classificação sugerida pela CID-10, um indivíduo com episódio depressivo leve apesar de sentir-se angustiado pelos sintomas e apresentar alguma dificuldade em desempenhar as atividades laborativas e sociais não as deixa de exercer por completo. Um indivíduo com episódio depressivo moderado apresentará dificuldade considerável para continuar exercendo suas atividades. No caso de um indivíduo com episódio depressivo grave é muito pouco provável que seja capaz de exercer as atividades laborativas, sociais e domésticas.

images (4)Nos casos de depressão a dor psíquica não é só pelo que se passou, mas também pelo estado atual em que a pessoa encontra-se. É muito comum que uma pessoa deprimida deprima-se ainda mais quando se dá conta de seu estado letárgico e imóvel frente à própria vida.

A associação de fármacos e psicoterapia é a maneira mais eficaz e adequada no tratamento da Depressão, provocando melhores resultados que ambas as intervenções isoladas. Quando uma pessoa apresenta um conjunto destes sintomas e estes interferem de forma importante com a vivência cotidiana, é fundamental consultar o médico. O reconhecimento dos sintomas e o diagnóstico em fase inicial é importantíssimo e ajudam a ultrapassar a doença com maior sucesso e a minimizar o número de recaídas.

Independente do grau dos sintomas não desvalorize nenhum deles, sejam emocionais ou físicos, pois podem estar associados à depressão, principalmente se se agravarem ou perdurarem por mais de duas semanas consecutivas.

 

Sorriso

Lembre-se, a depressão tem tratamento e cura. E num próximo artigo falaremos mais sobre esse assunto de forma mais detalhada. Enquanto isso: Busque ajuda. Faça atividades físicas, recorra aos profissionais da área como psiquiatras e psicólogos, a amigos e parentes e o mais importante a Deus!

 Juntos nós venceremos a depressão e seus terríveis sintomas! Até a próxima e sorriso no rosto!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 pensamentos em “Entenda a Depressão – Os sintomas