Diário do Perné – 007: a luta de viver o luto


Que a dor de perder alguém amado, seja ele o grau de parentesco ou amizade, esmaga o coração e nunca cura, não é novidade para ninguém. Mas só quem viveu e vive essa dor é que de fato entende o grau de sofrimento que quem ficou passa.

Falando da minha vida, de muitas perdas que tive, e posso afirmar que ficou marcado no meu coração, as primeiras foram lá na minha infância: perdi um tio paterno em 1997, e no mesmo ano irmãos de fé que congregava comigo. Essas talvez foram umas das primeiras perdas significativas, que de algum modo mudaram a vida de quem eu convivia e/ou de quem eu amava, e por que não, acabou mudando a minha própria também. Tempos depois perdi meu pai (um buraco que nunca será tampado, uma ferida que nunca será fechada inclusive), e depois uns anos minha avó paterna, mãe do meu papai.

Gilma Perné – Advogada, Filha, Sobrinha, Irmã, Amiga e Prima amada. Foto: Larissa Souza Perné

Mais recentemente, infelizmente perdi minha prima querida, a Gilma. E há poucos dias completou 3 meses do seu falecimento.

E a dor ainda é recente e está bem grande, e muito difícil de lidar. E é tão tão doloroso e tão pesado carregar essa dor, que se torna praticamente impossível não ter no mínimo uma lembrança dela num período de 24 horas. Se estou acordado, e em qualquer lugar, lembro dela que poderia estar junto. Se estou dormindo tenho sonhos lindo e até pesadelos em que ela está.

Essa mesma dor que sinto também é compartilhada por pessoas bem próximas a ela, amigos e familiares, que eu amo, e os verem sofrendo dificulta ainda mais. Mesmo com a esperança que tenho e que me consola, que é que em breve posso reencontra-la, é agora que está sofrendo. Entendem?

Mas minha fé não morre, tenho que continuar por ela, pelo meu pai e por tantos outros amigos e familiares que se foram e também pelos que ficaram por aqui. Vamos em frente!

E se você tem a curiosidade de saber mais detalhes sobre minha esperança de reencontrar os que estão agora mortos, ou se perdeu alguém e está sofrendo e quer aprender aprender mais a respeito, indico um artigo de A Sentinela de março/2013:

“Que esperança maravilhosa! É como disse um erudito: “Ao passo que cemitérios talvez nos lembrem da brevidade da vida, a ressurreição nos dá a certeza da brevidade da morte.” De fato, a ressurreição de Jesus significa vida!”

A revista e artigo completo está disponível completo em mais de 1000 idiomas, inclusive Língua de Sinais no site Jw.org, que pode ser acessado clicando aqui.


Tags , , , ,

2 opiniões sobre “Diário do Perné – 007: a luta de viver o luto

  1. Daiane Perné disse:

    Amo vc! A Gi tinha muito orgulho de ser sua amiga e prima assim como eu tenho! Força, vamos vencer juntos! ❤

  2. Denize Perne disse:

    Que lindo 🤩 força , com certeza vamos encontrar ela é muitos outros na ressureição, força filho 🤟 te amo ❤️ muito . A Gigi é um flor muito linda 😻 lembro dela a toda hora . Lembrança feliz ela me pedindo no de coco, me chamando de tia demorado .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *