Os 9 passos do Perdão

Se o perdão é tão bom e positivo para o ser humano, por que poucos optam por perdoar quando as pessoas as machucam? 

A resposta pode estar na cultura atual que valoriza mais a expressão da raiva e do ressentimento do que a paz do perdão. Além disso, a maioria das pessoas está confusa sobre o que é e o que não é perdão. As tradições religiosas, geralmente, reforçam a importância do perdão, mas não oferecem as etapas práticas de como fazer.

Liberte-se de si mesmo, e perdoe.
Imagem: Reprodução da Internet

Em seu livro ‘O Poder do Perdão’, o Ph.D Frederick Luskin, um dos maiores estudiosos sobre o perdão e diretor do Forgiveness Projects, da Universidade de Stanford, apresenta um processo, desenvolvido por ele, composto por nove passos que ajudam a pessoa a transformar o ato de perdoar em uma prática habitual e recuperar o controle de sua vida. São eles:

  1. Entenda exatamente como você se sente a respeito do que aconteceu e seja capaz de articular isso, falando a respeito com pessoas de sua confiança.
  2. Assuma com você o compromisso de superar. O perdão é para você, e mais ninguém.
  3. Perceba que perdão não significa, necessariamente, reconciliação.
  4. Adote a perspectiva certa: a principal fonte de sua mágoa é o sofrimento emocional e físico que você está passando agora e não a pessoa ou evento que a causou.
  5. Pratique técnicas de controle de estresse sempre que começar a se sentir irritado ou zangado.
  6. Não espere de outras pessoas aquilo que elas não têm para dar a você.
  7. Estabeleça objetivos positivos e descubra outras maneiras de atingi-los que não seja por meio da experiência que feriu você.
  8. Lembre-se de que uma vida bem vivida é a melhor vingança. Ao focar em suas feridas, você está dando poder à pessoa que o feriu. Aprecie o que se tem ao invés de concentrar-se naquilo que não tem.
  9. Dê um novo significado ao seu passado e inspire-se sempre em sua escolha de perdoar.

Veja também: O poder do Perdão

Release: Engaje! Comunicação Inteligente

Friends na Imaginarium Goiânia

Depois da C&A, foi a vez da Imaginarium, lançar no fim do ano passado os produtos comemorativos da série Friends.

Vamos conhecê-los?

friends e imaginarium
Canecas Empilháveis
cadernos friends
Lindos caderninhos
central perk
Friends e Pipoca? Temos!
chaveiros friends
Pins e Chaveiros
Resultado de imagem para friends imaginarium"
E a Famosa porta roxa virou Carregador portátil e cofre porta retrato.

E a Imaginarium Goiânia, fez uma festinha para comemorar essa famosa coleção.

Rafa, Tainá e Laila, Grande Lucas ali atrás e eu comandando a selfie.
Meus lindos Friends que conheci recentemente e também são fãs da série.
Eu com a Andréa de Paula carvalho, a maravilhosa empresária que trouxe a Imaginarium para nossa Goiânia, e organizou nossa festinha. Simpatia e Humildade em pessoa.

A festa foi maravilhosa, super animada e ocorreu no inicio de dezembro. Sim, demorei registrar aqui né? Mas agora tudo ok!

Apaixonei demais na coleção e e consegui várias coisas, como o carregador, os pins, alguns caderninhos e o quadro cofre. Uma pena que não foi possível ter tudo. Mas mesmo assim, muito apaixonado.

Obrigado a Imaginarium Goiânia, pela linda oportunidade.

O poder do perdão

O mundo vive tempos de forte intolerância, sentimento que tem encontrado terreno fértil nas redes sociais e onde junto com discursos de ódio conquista cada vez mais adeptos. A sociedade está cada dia mais intransigente com as causas diferentes do comum. Já é tempo de repensar os posicionamentos agressivos e apostar na serenidade, empatia, afeto, e no perdão como antídotos para essa hostilidade.

É hora de aprender a perdoar. Um número cada vez maior de pesquisas indica que o perdão proporciona uma série de benefícios à saúde. Qualquer pessoa pode se tornar mais tolerante quando desenvolve hábitos como a empatia, passando a focar no lado bom das coisas.

Resultado de imagem para perdao
O perdão é Liberdade
Foto: Reprodução da Internet

De acordo com Flora Victoria, mestre em Psicologia Positiva aplicada pela Universidade da Pensilvânia, quando não perdoamos os outros, nos colocamos em uma escravidão mental, física e emocional. “E quando permitimos que isso ocorra, a pessoa que nos feriu pode nos colocar em uma gaiola, sendo que somos os únicos que podemos nos libertar dela”, reforça Flora.

Para a especialista, a habilidade de perdoar prevê uma saúde positiva tanto mental quanto física. O ato do perdão protege contra os efeitos negativos do estresse e faz bem tanto à saúde de quem é perdoado como, principalmente, de quem perdoa.

O Ph.D Frederick Luskin, um dos maiores estudiosos sobre o perdão e diretor do Forgiveness Projects, da Universidade de Stanford, concluiu uma extensa pesquisa sobre o treinamento e a medição da terapia do perdão. Sua pesquisa demonstra que esse ato tão importante leva a um aumento da vitalidade física, esperança, otimismo e habilidades de resolução de conflitos.

“Minha pesquisa mostrou que aprender a perdoar ajuda as pessoas a magoar menos. As pessoas que aprendem a perdoar relatam menos sintomas de estresse, como dores nas costas, tensão muscular, tonturas, dores de cabeça e dores de estômago. Além disso, descrevem melhorias no apetite, no padrão de sono, na energia e no bem-estar geral”, afirma Luskin.

Porém, ele adverte que perdoar não é fácil, mas é uma competência que pode e deve ser treinada pelas pessoas que desejam ser feliz. “Perdão não significa que você precisa se reconciliar com alguém que o tratou mal. Se você foi vítima de abuso, agressão ou está em um relacionamento difícil, pode perdoar o ofensor e, como parte dessa escolha, tomar a decisão de encerrar ou limitar o contato com ele. O perdão é principalmente para a sua paz de espírito”, esclarece Frederick Luskin.

Flora Victoria é mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Foi considerada a Embaixadora da Felicidade no Brasil por Martin Seligman. É autora de importantes obras como Semeando Felicidade (2017) e Florescimento na Prática (2019) e prepara o seu mais novo livro, editado pela Harper Collins, que será lançado no início de 2020. Possui graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa, pela Harvard Business School; MBA, pela FGV; Marketing, pela ESPM e Tecnologia, pela USCS.

Release: Engaje! Comunicação Inteligente

Siga o Caminho: Lojas Trailler

Esses dias fiz uma fotos para uma loja maravilhosa, a Trailler oficial. Com looks masculinos maravilhosos a marca é ideal para homens modernos, e que gostam de estar na moda. 
Ela é a mais nova marca do grupo Rima´s, que sempre estão INVESTINDO  em profissionais capacitados e fica sempre por dentro das tendências e matérias-primas que fazem cada coleção ser única e desejada pelo jovem moderno.
Claro que a locação é maravilhosa mas já viu a beleza dessa camiseta? É “Trailler”.
Tanto é que a marca vem buscando desenvolver  e comercializar produtos com qualidade e rentabilidade, proporcionando satisfação aos consumidores. Atendendo os pré-requisitos de forma dinâmica e inovadora, buscando bem-estar e conforto e tem como visão, estar no ramo de confecção masculina, com excelência na formação de referência da moda goiana e brasileira.
Fotos: Bia Miranda (Instagram: @_biaa_).
Acessórios: Chili Beans Shopping Cerrado e Hifly Shopping Passeio das Águas.
Camiseta: Trailler Oficial (@traillerOficial).
Siga o Caminho: Lojas Trailler

Um dos maiores desafios da minha vida é o tema da redação do ENEM 2017

Como muitos já sabem, o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017 teve questões de humanidades com carga de leitura e exigiu dos candidatos conhecimentos de história, geografia, filosofia, sociologia e até atualidades.

A polêmica da vez foi o tema da redação, que foi “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”.

A prova teve quatro textos motivadores, sendo que um deles incluiu dados sobre o número de alunos surdos na educação básica entre 2010 e 2016. Outro apresentou um trecho da Constituição Federal afirmando que todos têm direito à educação, com já falamos aqui. Um terceiro mostrou aos candidatos a lei de 2002, que determinou que a Língua brasileira de sinais (Libras) se tornasse a segunda língua oficial do Brasil.

O tema causou polêmica, mas eu não entendi o motivo, já que a redação do Enem costuma funcionar como forma de conscientizar as pessoas sobre o tema escolhido. Ou seja, as famílias, país afora, discutem o assunto que caiu na prova. É o que aconteceu com a questão da persistência da violência contra a mulher, por exemplo.

Mas pelo que vi, e fiquei indignado é que para muitos não é tão importante o fato de que os surdos terem vencidos barreiras, e lutaram para terem acesso a educação, onde até certo período, nem direito de ir a escola tinham já que eram considerados “incapazes’, ou de sofrerem o bullying e o preconceito, ou serem ignorados pela família e a sociedade e ainda hoje seguirem excluídos na escola e mercado de trabalho, mesmo que tenham a capacidade e formação educacional, necessária ou mesmo tendo um excelente rendimento como pessoa ouvinte, assunto que também já discutimos aqui.

Não podemos negar que houve avanços nas leis inclusivas no Brasil, e que estamos caminhando para um país “igual para todos”. Sim, as leis existem, e até impulsionou as matrículas dos estudantes com deficiências, por exemplo, que praticamente dobraram. Porém muita coisa está longe de se tornar realidade, sair do papel, já que construir uma educação ou mercado de trabalho inclusivo vai muito além da mera criação de vagas.

Um exemplo disso, e é que eu passei e ainda passo por isso, é que ocorre com todos surdos: embora muitos tenham passado a frequentar a escola regular, ou trabalhar numa empresa que respeita a lei de cotas, é comum que os professores, empregadores e a maioria dos estudantes e colegas de trabalho não dominem a Língua de Sinais, o que coloca em risco a socialização. Não falar a língua do outro é uma forma velada de desprezo e rejeição: o surdo até está no mesmo espaço, mas não é devidamente atendido ou respeitado. De fato, eu que vos escrevo me sinto transtornado pelo despreparo da sociedade em relação a isso, das escolas que estudei e dos lugares que trabalhei e até daqui onde hoje trabalho.

Para parafrear, cito as palavras da colunista Andrea Ramal: “Para que a educação e o mercado de trabalho seja inclusivo de fato, é preciso adaptar a infraestrutura das empresas e escolas, e que estas precisam contar com recursos multifuncionais e serem planejadas com acessibilidade arquitetônica e tecnológica. Além disso, é necessário a capacitação dos ouvintes para aprimorar as práticas necessárias, de forma que o ambiente seja um ambiente de oportunidades reais para todos”.

Já em relação, a vagas e estações de trabalho para surdos, falamos com o jovem Enzo Matheus, de 20 anos, que fez a redação do ENEM ontem, no estado do Ceará. Segundo ele, é necessário não apenas ampliação de ofertas de empregos, mas também projetos sociais envolvendo os surdos e a Língua de Sinais, de modo que também que envolva toda a comunidade. Para ele seria uma forma de intensificar as relações interpessoais de surdos e ouvintes.

De fato, a principal mudança está na atitude da comunidade. Teremos escolas e empresas inclusivas quando todos os que fazem parte destes – acreditarem que no convívio com os “diferentes” poderemos aprender, nos tornamos pessoas melhores, mais sábias, tolerantes e talvez até capazes.

É juntos com os surdos e demais pessoas com deficiência, que iremos construir oportunidades, e assim uma nova sociedade mais justa possa começar.

 

Gostou do texto?

Leia outros assuntos aqui no Blog, clicando aqui.

Orientação Vocacional – Existe uma profissão certa para cada tipo de pessoa? – Por Ingrid Luiza

As indagações sobre a escolha profissional sempre fazem parte da vida do estudante que precisa decidir qual curso seguir. Entretanto, as questões ficam mais latentes durante o segundo semestre – época que antecede o vestibular do meio do ano e já pensando na preparação para o próximo ano (1-2018).

Nesse contexto, a Profa Dra Ingrid Luiza Neto, docente do curso de Psicologia do Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), preparou o artigo: Existe uma profissão certa para cada tipo de pessoa? que orienta o estudante nessa decisão. Ela destaca características de personalidade que podem se configurar nos primeiros pontos que colaboram para a decisão. Vamos nos deliciar?

Escolher qual profissão seguir não é tarefa simples. Uma das grandes dificuldades nesse processo é o aumento da quantidade de profissões disponíveis para o candidato escolher, em um mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo. Além disso, quando o candidato apresenta diferentes áreas de interesse (gostar de música e de química ao mesmo tempo, por exemplo), deverá refletir sobre quais dessas atividades gostaria de fazer profissionalmente, tendo que lidar com as perdas resultantes de suas escolhas. Ao escolher trabalhar com música, a princípio o indivíduo terá de abrir mão de seu interesse pela química.

Mas o fato é que, apesar das dificuldades inerentes à escolha de qual profissão seguir, tendemos a nos envolver em atividades que sejam compatíveis com nossas habilidades. Pessoas que buscam profissões que estejam alinhadas a seus interesses e à sua personalidade, tendem a ser mais satisfeitas profissionalmente e a mudar menos de carreira.

Alguns estudos da psicologia revelam que os interesses são uma expressão da personalidade e que pessoas que seguem uma mesma profissão tendem a apresentar características da personalidade semelhantes. Tais estudos consideram que existem seis tipos de personalidade vocacional: Realista,Investigativo, Artístico, Social, Empreendedor e Convencional (RIASEC), conforme figura a seguir:

 

Fonte: Holland (1985)

 

Veja abaixo algumas das características comuns a cada tipo de personalidade vocacional e alguns cursos correlatos:

(R)ealista: preferência por atividades práticas e concretas, como o uso de máquinas, ferramentas e materiais. Pessoas com personalidade realista tendem a ser introvertidas e a atribuir pouca importância aos valores estéticos. Apresentam maior capacidade matemática e mecânica que capacidade verba; e perceptiva.

Exemplos de cursos: áreas da Engenharia

(I)nvestigativo: interesse e curiosidade por atividades analíticas e intelectuais, buscando soluções para problemas comuns e satisfação em atividades acadêmicas. Tendem a ser introvertidos, críticos e perfeccionistas, preferindo profissões mais científicas e teóricas. Apresentam boa capacidade de organização, independência e originalidade.

Exemplos de cursos: Direito, Ciências Biológicas, Ciências Farmacêuticas

(A)rtístico: gosto por atividades livres e não sistematizadas, visando desenvolver competências inovadoras e criativas, como a linguagem, a arte e a música, com tendência à abertura a novas experiências. Pessoas com personalidade artística enfatizam sentimentos, emoções, intuições e imaginação, apresentando aptidões verbais, motoras e perceptuais.

Exemplos de cursos: Arquitetura, Artes Cênicas, Música

(S)ocial: busca pelo contato com outras pessoas, demonstrando extroversão e tendendo a evitar situações que exijam força física. Demonstram responsabilidade e sensibilidade, e grande capacidade verbal e interpessoal. Os sociais preferem trabalhar em atividades comunitárias e têm menor habilidade matemática do que verbal.

Exemplos de cursos: Serviço Social, Sociologia, Psicologia, Pedagogia

(E)mpreendedor: atração por situações de poder, que associam-se à liderança e ao empreendedorismo, evitando atividades muito reflexivas e teóricas. Apresentam necessidade de domínio, boa expressão verbal e capacidade persuasiva.

Exemplos de cursos: Relações Públicas, Gestão Hoteleira e Turismo

(C)onvencional: preferência por atividades como manipulação de dados, que têm relação com competências de organização e disciplina. Indivíduos com personalidade convencional tendem a evitar situações livres e exploratórias, sendo caracterizados por falta de flexibilidade e de criatividade.

Exemplos de cursos: Economia, Contabilidade e Administração

De maneira geral, os estudos têm encontrado uma relação significativa entre tipos de personalidade e escolhas de carreira entre estudantes de graduação, sugerindo que os estudantes tendem a obter maior satisfação ao escolherem carreiras que mais se relacionem com suas características pessoais.

Por fim, e antes que você reflita sobre qual o seu tipo de personalidade e se você escolheu o curso certo, vale ressaltar que todos nós apresentamos características das seis dimensões. Apesar de existir uma predominância de uma dessas dimensões sobre as demais, que caracteriza o tipo de personalidade que cada um de nós apresenta na maior parte do tempo, podemos apresentar características realistas, investigativas, artísticas, sociais, empreendedoras ou convencionais, a depender da situação ou contexto.

Se você se interessou pelo tema, se está em fase de escolha do curso certo para você, ou em processo de mudança de curso, recomenda-se que reflita profundamente sobre seus interesses, gostos e preferências. Autoconhecimento é a palavra chave nesse momento. E lembre-se que, nessa tarefa de olhar para si, a ajuda de um profissional da psicologia pode ser muito bem-vinda!

Referências:

Holland, J. L. (1985). Making vocational choices: A theory of vocational personalities and work environments (2nd ed.). Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall.

Kemboi, R. J. K.; Kindiki, N.; & Misigo, B. (2016). Relationship between personality types and career choices of undergraduates Students: A case of Moi University. Kenya Journal of Education and Practice, 7 (3), 102-112.

Magalhães, M. O.; & Gomes, W. B. (2007). Personalidades vocacionais e processos de carreira na vida adulta. Psicologia em Estudo, 12(1), 95-103.

Mansão, C. S. M.; & Noronha, A. P. P. (2011). Avaliação dos tipos profissionais de Holland: Verificação da Estrutura interna. Psicol. Trujillo, 13(1), 46-58.

Santos, I. M. G. (2012). Os interesses e as escolhas profissionais de acordo com os 6 tipos de personalidade propostos por Holland (RIASEC) numa amostra de estudantes do ensino superior em Cabo Verde. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Psicologia: Universidade de Lisboa.

Valore, LA. (2008). A problemática da escolha profissional: Possibilidades e compromissos da ação psicológica. Em Cidadania e participação social, A.F. SILVEIRA, et al. (pp 66-76). Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Sobre o UDF – Criado em 1967, o Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) é a primeira instituição particular de ensino superior da capital do Brasil. Instituição tradicional no ensino de Direito, o UDF conta também com uma Escola de Engenharia e de Saúde e oferece cursos de pós-graduação lato e stricto sensu presenciais e a distância, além de programas de extensão voltados à comunidade externa, ao todo reúne mais de 11 mil alunos. Integra a Cruzeiro do Sul Educacional S/A, formada também pela Universidade Cruzeiro do Sul e Universidade Cidade de São Paulo (São Paulo/SP), pela Universidade de Franca (Franca/SP), pelo Centro Universitário Módulo e pela Faculdade Caraguá (Caraguatatuba – SP), pela Faculdade São Sebastião (São Sebastião/SP) e pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP); um grupo de ensino superior de atuação nacional que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados. Visite: www.udf.edu.br

Das Séries que Amamos: “Anne com E”

No fim do século 19 viveu uma menina linda, doce, inteligente, leve, faladeira e otimista chamada Anne.

Anne começa a série na expectativa ser amada e feliz. – Imagem: Netflix/Divulgação

Anne é personagem da nova série da Netflix: “Anne with an E” da obra “Anne of Green Gables”, no qual contamos nossa impressão agora, e já avisamos para que não esqueça, que ao ler Anne, você deve pronunciar ” E”, no final. Recado dado, vamos nos apaixonar?

Tudo começa quando a orfã Anne Shirley, chega a Ilha de Príncipe Eduardo, no Canadá, onde viverá com sua nova família adotiva.

Mas não pense que é uma família comum de marido e mulher. Na verdade trata-se de um casal de irmãos Matthew e Marilla, que estão já idosos e que nunca tiveram filhos. E com a idade, resolvem adotar um menino para ajuda-los nas tarefas da propriedade rural onde vivem.

Imaginem a surpresa e a decepção ao descobrirem que na verdade não veio um menino e sim a doce e sorridente menina Anne (com E), que mal pode acreditar que terá uma família, um lar eque  se belisca o tempo todo para ter certeza que é a realidade. Mas na estação, Matthew encontra a menina e não tem coragem de desfazer o mal-entendido.

A família unida – Imagem: Netflix/Divulgação

Chegando na casa, Marilla é resistente à presença de Anne. Mas, com o passar dos dias, ela se encanta com a menina, que faz de tudo para ser aceita como membro da família.

A inteligência e a grande imaginação de Anne são os pontos altos da série, e vão além da relação de afeto entre ela e os novos “pais”. Ainda assim nem tudo são flores, até porque Anne detesta seu cabelo ruivo, suas sardas e sofre bullying de todos, inclusive na escola, e pelo próprio padre da cidade por ser órfã, pobre ou os cabelos vermelhos demais.

Aos poucos, a menina ganha a confiança do povo da cidade, e consegue evitar que um incêndio tome proporções assustadoras, salva uma criança doente e ajuda a impedir a falência da propriedade da família. Mostrando que o otimismo sempre é necessário para lidar com as dificuldades da vida. Anne é Show, e é um exemplo de como devemos levar a vida: Com alegria, esperanças e muito amor e imaginação: Viva Anne!

Anne, 2017 – Canadá

Elenco: Amybeth McNulty, Geraldine James, R.H. Tomson, Dalila Bela, Corrine Koslo, Aymeric Jett Montaz, Helen Johns, Lucas Jade Zumann, Christian Martyn & Kyla Matthews

Direção: Niki Caro, David Evans, Paul Fox, Sandra Goldbacher, Patricia Rozema, Helen Shaver & Amanda Tapping

Roteiro: Moira Walley-Beckett

Fotografia: Bobby Shore

Agradecimentos: Ao meu amigo Wemerson Cláudio que me indicou a série, obrigado!

Veja também: 

Das séries que amamos (?) – 13 Reasons Why

 

Motivação e Liderança – Maio: 31 dias/ 31 frases – Por Dariane Vale

Maio começou, e começou bem, tanto é que começou com um feriado do dia do trabalho. É, Maio é o “mês do trabalho”, tanto é que serão ao todo 31 dias. E a muito pela frente.

Eu sei que já estamos no terceiro dia, mas ainda há tempo de “roubar-tilhar” (roubar + compartilhar) com vocês 31 frases de efeito do Blog da minha amiga Dariane Vale.

O texto é bom e as frases foram super bem selecionadas. Cabe a nós pegar para nós o que há de melhor a cada dia e refletir: como posso ser um ser hoje insubstituível para o mundo?
Que a vida seja a cada dia melhor, começando hoje!

Imagem: Reprodução

Sempre que precisamos de conselhos, para onde recorremos? Aos grandes pensadores, aos líderes que nos inspiram!

 

Entramos em um mês de reflexão, mas também de muito trabalho. E nunca é tarde, seja em qualquer época, para nos inspirar!

 

Quem sabe, encher as paredes do seu escritório com frases assim possibilitam uma maior (e melhor) motivação da sua equipe.

É recorrente esta minha afirmação: use as armas que tem, e use ao seu favor. Um pouco de otimismo diário não é nada mal, aliás, é válido sempre!!

Use e abuse, imprima as frases de liderança e motivação para um mês inteiro, divida com a sua equipe, e mostre que os valores podem e devem ser repassados e compartilhados!

Empreender é quase que travar uma batalha diária, dada a quantidade de obstáculos e adversários que aparecem à sua frente. E é impossível vencer a guerra sozinho.

 

  1. “Um líder é um vendedor de esperança” – Napoleão Bonaparte

 

  1. “Minha definição de liderança é a seguinte: a capacidade e o desejo de guiar, com caráter, homens e mulheres rumo a um objetivo” – Bernard Montgomery

 

  1. “O melhor executivo é aquele que sabe escolher os melhores homens para uma missão e tem autocontrole suficiente para não se intrometer enquanto eles resolvem o problema” – Theodore Roosevelt

 

  1. “Um líder de verdade tem confiança para ficar sozinho, coragem para tomar decisões difíceis e compaixão para escutar a necessidade dos outros” – Douglas MacArthur

 

  1. “Nunca dê uma ordem que não pode ser executada” – MacArthur

 

  1. “A liderança é a arte de fazer uma pessoa querer fazer algo que, na verdade, vai ajudar você” – Dwight Eisenhower

 

  1. “Prepare-se para tomar decisões. Essa é a qualidade mais importante em um bom líder” – George Patton

 

  1. “Um líder é alguém que adapta princípios de acordo com as circunstâncias que aparecem” – Patton

 

  1. “Se todo mundo está pensando igual, então tem gente que não está pensando em nada” – Patton

 

  1. “A liderança é a potente combinação entre estratégia e caráter. E se quiser escolher um valor, fique com o segundo” – Norman Schwarzkopf

 

  1. “Grandes líderes são quase sempre grandes simplificadores, que cortam argumentos, debates e dúvidas para oferecer uma solução que todos podem entender” – Colin Powell

 

  1. “Dados são mais importantes que julgamentos para líderes de sucesso” – Powell

 

  1. “Temos que ajustar nosso caminho rumo às estrelas, não para as luzes de todo navio que passa no mar” – Omar Bradley

 

  1. “A disciplina é a alma de um exército. Ela faz grupos pequenos parecerem formidáveis, ajuda os mais fracos a obter o sucesso e traz autoestima para todos” – George Washington

 

  1. “Lembre-se: ninguém pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento” – Eleanor Roosevelt

 

  1. “Não importa o quão rápido você anda, mas a força de vontade para nunca parar” – Confúcio

 

  1. “Uma pessoa que nunca cometeu erros nunca tentou algo novo” – Albert Einstein

 

  1. “Falhe sete vezes. Levante-se oito” – provérbio japonês

 

  1. “Há apenas uma maneira de evitar críticas: não fazer, não falar e não ser nada” – Aristóteles

 

  1. “Seu tempo é limitado, então não perca tempo vivendo a vida de outra pessoa” – Steve Jobs

 

  1. “Você não falhará se não subir a montanha. Mas não tem graça nenhuma viver sempre com o pé no chão” – autor desconhecido

 

  1. “Quando tudo parecer estar contra você, lembre-se que o avião decola contra o vento, não com a ajuda dele” – Henry Ford

 

  1. “80% do que leva as pessoas ao sucesso é se mostrar para o mundo” – Woody Allen

 

  1. “Não perca tempo tentando mudar a opinião dos outros. Faça seu trabalho e não ligue para o que pensam” – Tina Fey

 

  1. “Daqui 20 anos, você vai se arrepender pelo que não fez, não pelos erros que cometeu. Afaste-se do seu porto seguro. Enfrente o vento. Explore. Sonhe. Descubra” – Mark Twain

 

  1. “Sempre lembre que você é mais corajoso do que pensa, mais forte do que parece e mais esperto do que acredita” – Christopher Robin

 

  1. “Ok, você é inseguro. Mas adivinhe? O resto do mundo também é. Não superestime a concorrência e subestime você. Você é melhor do que acredita” – T. Harv Eker

 

  1. “Nada pode parar alguém com a atitude ideal a conquistar sua meta; nada na Terra pode ajudar alguém sem comprometimento” – Thomas Jefferson

 

  1. “A confiança não vem do ato de estar sempre certo, mas de não ter medo de estar errado” – Peter T. McIntire

 

  1. “Na vida, cada um tem dois caminhos a seguir: esperar pelo melhor dia da vida ou comemorar cada um deles como algo inesquecível” – Rasheed Ogunlaru

 

  1. “Um plano razoável executado hoje é melhor que um plano perfeito que sempre fica para a semana que vem” – George Patton

 

E mais 3 frases bônus – porque acho incrível ter palavras que acrescentam no nosso desenvolvimento pessoal e empresarial!

 

  1. “Mantenha seus medos consigo mesmo, mas compartilhe sua coragem com todo mundo” – Robert Louis Stevenson

 

  1. “Faça o que você puder, onde você está e com o que você tem” – Theodore Roosevelt

 

  1. Não deseje que seja mais fácil. Deseje ser mais forte. A força surge do impacto entre a força e o poder. 

 

E você, quer ficar por dentro das últimas tendencias da moda? Que tal estar cada dia mais motivado? Ou então, se vai viajar mas não sabe para onde? A Dari, conta tudo para gente lá no Moda e Gestão!

Leia também outros textos da Dariane que publicamos aqui, de acordo com os temas:  Motivação da Semana, Motivação no Trabalho, Vamos mudar o mundo!

Dia internacional da Síndrome de Down: Comunique-se!

O dia internacional da Síndrome de Down chegou. E este é o segundo post  hoje aqui no blog, sobre essas pessoas tão queridas e especiais,

Logo você percebe que ela é diferente. Tem os olhos puxadinhos, nariz achatadinho, e pode ser muito carinhosa. Antes de mais nada tenha em mente que ela aprende as coisas um pouquinho devagar, mas aprende. As vezes não se comunica bem, mas se comunica sim, seja utilizando frases ou palavras pequenas, por sinais ou gestos mímicas.

Mas falando em comunicação, vamos conferir algumas dicas para que a comunicação, não apenas com pessoas com Síndrome de Down, mas com qualquer deficiência seja eficaz?

ESCUTE:

Mantenha contato visual, sem exagerar.
Mantenha uma atitude atenta e calma. Avalie se é necessário mais atenção, porque a criança com síndrome de Down, por exemplo, pode demorar mais para aprender as coisas.
Procure fazer com que sua comunicação tanto verbal como não verbal assegure ao outro que você está atento.
Tolere, sem ansiedades, o silêncio da pessoa.
Depois de fazer uma pergunta, é importante silenciar. Se o outro não responder de imediato, evite o impulso de preencher o silêncio com seus comentários. Dê-lhe a oportunidade de entender ou pensar na sua resposta.

Imagem: Reprodução

RESPEITE:
Abstenha-se de julgamento na comunicação.
Crie condições para que as pessoas com deficiência possa expressar suas idéias, sentimentos, valores e atitudes. Isto não significa que você deva concordar com as posturas e necessidades dessas pessoas, apenas compreendê-las e aceitá-las.

Demonstre EMPATIA:

Procure colocar-se no lugar do outro, inclusive na dificuldade que você teria caso passasse pela mesma deficiência ou estivesse na mesma situação.                                                                                                                                                                   Procure refletir e recolocar as suas idéias em outras próprias palavras, caso necessário, de maneira a demonstrar-lhe que o está entendendo e acompanhando.
Limite-se a recolocar sentimentos e idéias de que esteja seguro de terem sido expressos, não conclua ou interprete motivos profundos.

Leia também:

Artigos sobre Inclusão, Surdez e Língua de Sinais

Dia internacional da Síndrome de Down: Comunicação Acessível